Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem

Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem
À venda no buscapé em 16 livrarias e em diversas livrarias ao vivo (Clique na imagem acima)

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Belo trabalho, Ricardo Gomes


Gosto desse cara. Embora cria do Flu como jogador, com uma bela passagem pelo Vasco como técnico, tem a cara do Botafogo: a da superação. Muito bacana a atitude do Jorginho e do Zinho e dos jogadores do vasco como o Eder Luiz, o Andrezinho, o Nenê e outros. O empate foi justo. O Vasco tem um bom time, maduro e experiente.
O caminho é esse. Investir na garotada e preparar os gringos aos poucos. Jefferson dispensa apresentação. Os dois laterais são razoáveis, embora hoje não tenha sido um bom dia pro Diogo Barbosa. Estamos bem de zagueiros e esse Emerson vai longe. Airton, por incrível que pareça, está jogando bola e Lindoso tem mais bola do que a que está jogando. Gegê ainda não me convenceu mas merece as oportunidades, joga pro time. Ribamar e Luis Henrique têm futuro. Ainda não é a vez deles. Precisamos de um Neilton em forma de novo e de um atacante mais cascudo. Acho que o Salgueiro e o Lízio podem jogar mais assim que pegarem forma e entrosamento.
É o que penso. A bola agora é com vocês.
A foto que ilustra este post é uma homenagem ao Ricardo Gomes e um marketing do livro. Alguém aqui ainda não leu?
(Texto que acabo de publicar no blog do Botafogo no JB. 

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Botafogo está tendo sorte de campeão

Amigos e amigas
Tenho andado meio sumido por causa da finalização do livro sobre o Sandro Moreyra. Mas estou ligado. Não vi os dois últimos jogos, apenas ouvi, mas vi o jogo de hoje contra a Cabofriense. Vitória dura, mas merecida. E mais uma vez sem ajuda de arbitragem. O pênalti foi claro. O que mais impressiona nesse time é a bola que o Airton vem jogando. Sem apelar pras faltas e até  dando dribles. Se é mais ousado teria feito um golaço. Gosto muito desse Emerson. Tem a tranquilidade do clássico Sebastião Leônidas e lembra um pouco o bom zagueiro Aldair. Não gostei desse Bruno. O que o Framengo roubou é bem superior. Luis Henrique e Neilton são joias que estão sendo lapidadas. Mas Gegê, me desculpem, não tem jeito. Rodrigo Lindoso parece que esqueceu o bom futebol que jogou no Madureira e esse Ribamar não é bobo.
Vamos em frente.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Dois jogos do Botafogo, duas vitórias limpas, sem "lances duvidosos"

Com dificuldades, claro. Pois nada cai do céu ou do apito pro Glorioso. Mas o que é mais importante sem essa de roubado é mais gostoso. Essa é a diferença. Que incomoda a tanta gente.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Como acreditar numa "Primeira Liga" que diz que vem pra moralizar o futebol e tem dois clubes acusados de subornar o adversário pra não cair?

Um querido amigo sentão me pergunta: "e aí, PC, está assistindo a Primeira Liga"?. Pensei até que fosse algum tipo de lingerie erótica, mas não. É a Primeira Liga que tem Avaí, Criciúma, Figueirense e América Mineiro. Criada para questionar e peitar federações regionais e a CBF da vida. Suspeitas até o pescoço. Mas como acreditar numa "Liga" que tem Framengo e Fluminense falando em ética? Resolvam primeiro quem subornou a Portuguesa e depois falamos em ética. Não sou trouxa. Falar em ética, e o William Arão? Bom, né? Ainda mais quando se toma de um clube que tirou o cara do ostracismo. Com o apoio das estatais, primeiro a BR durante anos e agora a CEF, fora a Mãe Grande, o Botafogo tomaria até o Messi do Barcelona.