Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem

Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem
À venda no buscapé em 16 livrarias e em diversas livrarias ao vivo (Clique na imagem acima)

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Nem viagra resolve o problema do Botafogo!, Carlos Eduardo Novaes

Acabo de receber mais um textaço do Mestre Carlos Eduardo Novaes. E Novaes aqui no Blog do PC não pede passagem. Diz aí, Mestre.

"Em entrevista ao jornal O Globo deste domingo o craque Seedorf afirmou que “os jornalistas botafoguenses não são nada bonzinhos com o time”. Suas palavras bateram-me fundo na alma e algumas horas depois de ler a matéria sentei-me na poltrona para assistir o Botafogo contra o Atlético Mineiro disposto a acompanhar o desempenho do time com benevolência e compreensão infinitas.
Depois da partida tive vontade de perguntar ao Seedorf como é possível ser bonzinho diante de uma atuação daquelas? O Botafogo jogando em seu estádio, em vantagem no marcador, acaba entregando a rapadura a um adversário que virou o jogo com um jogador a menos e já entrou em campo desfalcado de dois de seus melhores atletas! Não dá para ser bonzinho.

Que o Botafogo já deixou de ser um time de chegada há muito tempo não é segredo para nenhum garoto alvinegro. Basta lembrar o Brasileirão do ano passado quando chegou a pensar na Libertadores e terminou em 9º lugar perdendo três dos últimos quatro jogos e empatando com o Fluminense na rodada final. Ou seja, de 12 pontos possíveis conquistou um, unzinho!

Este ano não foi diferente. Nas últimas rodadas quando todos os botafoguenses torciam para engrenar uma marcha de força, o time encaixou uma marcha-a-ré e se duvidar muito terminará na mesma colocação de 2011 (o Botafogo não vence o Flamengo em Brasileirões há 12 anos!). Quer dizer, aquele sonho de permanecermos em 5º lugar esboroou-se pelo caminho. Taí neste sonho a confirmação da falta de apetite do Botafogo em lutar por títulos! Enquanto outros times pensam grande, o Botafogo já se sentiria feliz e realizado com o 5º lugar, que viria a ser sua melhor colocação desde a conquista de 1995.

Mas nem isso o Glorioso conseguiu, mesmo com outro técnico e um time em valores individuais bem superior ao de 2011. A que atribuir então tais fracassos que há 17 anos impedem o Botafogo de alcançar sequer as glórias de um quinto lugar? Para mim trata-se de um problema psicoemocional, uma crônica desesperança entranhada no espírito do clube que provoca estranha acomodação (ou desambição) em todos os envolvidos com o futebol do clube.

Já repararam que não adianta trocar jogadores, treinadores e cartolas? Seja lá quais forem os caras da hora, dentro de campo o comportamento do time acaba sendo sempre o mesmo, inseguro, assustado, burocrático, sem garra nem tesão. Alguma coisa precisa ser feita fora das quatro linhas porque – como estamos vendo ao longo desses 17 anos – o mal que aflige o Botafogo vai alem da troca de técnicos e jogadores. Já que o Viagra não faz melhorar o futebol de ninguém – pode melhorar outras ações – sugiro que a diretoria do Botafogo recorra ao sobrenatural. Talvez promovendo uma lavagem no clube, como os baianos fazem todos os anos na Igreja do Bonfim.

No jogo de domingo o técnico Osvaldo de Oliveira recriminou o comportamento do time, como se ele não tivesse nada a ver com aquilo, como se fosse um simples torcedor revoltado com o deprimente espetáculo apresentado pelo Botafogo. Se o treinador, comandante-em-chefe, que está no clube desde o inicio da temporada, não consegue fazer valer sua autoridade sobre os atletas quem vai fazê-lo? Ficou muito feio para o Osvaldo tirar o dele da reta e empurrar a culpa para cima da equipe que está sob seu comando. Pelo visto não são apenas os jornalistas que não são bonzinhos com o time."      

15 comentários:

Bebezinho Pinto Souto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bebezinho Pinto Souto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bebezinho Pinto Souto disse...

Vocês diriam que a marcação do Botafogo é uma marcação 'dePressão'?

Carlos Casto disse...

O grande gênio Osvaldo Oliveira não fez nada diferente do que fez o ano inteiro. Procurou jogar a culpa em alguém.
Ou a culpa foi da defesa, ou do time todo, ou da torcida, ou da diretoria...

Sinceremante, nunca fui de reclamar muito de técnico. Até do Joel, com seu esquema retranqueiro, conseguia aturar.
Mas esse cara é o técnico mais insuportável que já vi passar pelo Botafogo.
Se continuar, cancelo meu plano de sócio torcedor. E vou ter o prazer de informar o porquê do cancelamento!

FORA OSVALDO!!!!

Cacau Avila disse...

Respondendo à enquete 'calça apertada de Oliveira', eu acho que existem sim alguns torcedores alvinegros que querem que ele fique:

Seus ex vizinhos lá de Realengo/Pe. Miguel/Bangu, que mentem para o beócio dizendo-se alvinegros mas são framenguistas querendo ver o Botafogo explodir.

Mario_av disse...

"- Sempre digo, quando me pedem uma análise, que um percurso tem início, meio e fim. Estamos apenas no início, e seria prematuro fazer qualquer análise nesse momento - comentou Oswaldo de Oliveira." (Osvaldo de Oliveira, após a derrota para o Cruzeiro por 2x3, também de virada, na terceira rodada)

Alguém pode perguntar ao Osvaldo de Oliveira qual seria a análise atual? Pelos comentários do OO após o jogo, entende-se que tudo desandou por culpa exclusiva dos jogadores. Fez muito bem ele em sair com cara de mau do campo de jogo.

PC Guimarães disse...

Domingo, logo após o jogo, a Rádio Tupi reprisou a entrevista, após o jogo contra o Figueirense, em julho, em que Oswaldo garantiu que Rafael Marques ainda iria brilhar e surpreender todo mundo. Chegou a dizer que jamais indicaria um jogador se não tivesse certeza do seu sucesso. Não dá. Esse OO não serve para o Botafogo. Tomara que a gente queime a língua. Mas acho difícil. Manter Oswaldo é estragar o planejamento de 2013. Volta, logo, Loco!

Cacau Avila disse...

Mario e PC.

Na noite de Corpus Christi, saí da minha casa, longe p/ccte, para ver Oswaldo tomar um tôco e uma virada do Celso Roth (ou Celso Arroto), naquele Botafogo 2x3 Cruzeiro.

Domingo, tomei chuva de novo para ver Oswaldo, na mesmíssima situação de jogo, tomar um tôco do Cuca chorão, que se tem uma característica marcante é justamente jogar muito em casa mas se atrapalhar todo jogando fora, com pressão.

É mole?

luladavid disse...


Se todo percurso têm "início meio e fim",será que não dá pra pegar um atalho,não? No caso do Botafogo é isso: "A menor distância entre dois pontos seria um atalho".Se liga Oswaldinho,pega um atalho e sai!

Luis disse...

Volta pro Vasquinho O.O.!!
O Medici te ama !

Celso Ricardo disse...

A torcida do Corinthians colocou Roberto Carlos pra correr.
A torcida da UNIMED perseguiu Fred que estava bebendo em um bar todo alegre enquanto o time estava mal.
Precisa falar mais?

eduardo schiefler disse...

me divirto !!!!!

Mario_av disse...

Cacau,
Eu já decidi. Não vou mais ao Engenhão enquanto o O² for técnico do Botafogo. Nem como convidado do camarote da Brahma! (se tiver chopp liberado, é um caso a se pensar....)

Cacau Avila disse...

Já eu Mario, acho quem nem sangue vermelho tenho. Se cortar o braço, deve escorrer algum caldo preto.

Não consigo mesmo deixar de ir. No jogo contra a Lusa, tive que levar minha filha a um compromisso dela e combinei de ir a mãe junto para que, voltando, esta passasse ao volante em Madureira para voltarem para casa e eu então fosse para o trem para ir ao jogo, mesmo que chegasse atrasado (veja só).

Com o engarrafamento colossal na Taquara, o planejamento furou e vim escutando o primeiro tempo no rádio do celular para ver na TV apenas o segundo tempo.

Não deixo de ir nunca. Foi o primeiro jogo do brasileirão este ano, no Engenhão, que deixei de ir.

Léo disse...

Caso não ocorra uma pressão muito grande, daquelas com bombas e porrada em Gal. Severiano, o Osvaldo continua como técnico com cláusula de dispensa em virtude de de hipotéticos resultados negativos no carioca.

Por enquanto, é técnico do Botafogo no campeonato carioca e na Copa do Brasil.

O Novaes vai repetir o texto muitas vezes...