Livro sobre o Sandro Moreyra

Livro sobre o Sandro Moreyra
Lançamento em breve

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Cada time treina onde pode

Sorry, periferia, mas cavalo não desce nem sobe escadas e ademã que eu vou em frente pois meu time tem estádio de luxo para treinar. Que venha o chororô!


ESTÁDIO DO BOTAFOGO

"Estádio do Framengo"

"Estádio do FluFlu"


"Estádio" do Vasco

11 comentários:

edgard horacio disse...

engraçado, tá falando do APAGADÃO ?
não é aquele estádio que foi
interditado porquê o gramado não
prestava ? é este ?

PC Guimarães disse...

Esse problema já foi resolvido pelo patrocinador do Blog do PC (alô alô, BrahmaFogo: mais um elogio. aumenta a quota, por favor). Já o campinho de São Janu não tem jeito.

Cacau Avila disse...

O campo do alambrado que caiu só tem um jeito: IMPLOSÃO.

Agora, até com a extensão do programa Porto Maravilha os sonhadores estão contando.

Cacau Avila disse...

Agora outra coisa, a confirmação numérica para comentários do blog tá braba. Tem imagem de tumba, de porta de motel da Dutra, de letreiro de Armazém dos anos 30.

Allan Gouvêa disse...

De todos os poucos torcedores que o foguinho possui, e são bem poucos, Só o Pc e o Cacau sabem que o Vazião, vulgo Engenhão, é administrado (pessimamente) pelo foguinho, e que o foguinho pode jogar lá ou treinar, avisem ao resto dos poucos torcedores, talvez no Taça Rio de 2013, vocês consigam encher mais de uma Kombi e colocar 3 mil torcedores por jogo.
.
SDM

Felipe Flanático disse...

Já que em outra postagem "pediram" a história do Nilton Santos... hehehe

Nílton em Santos é uma múmia, um ex-futebolista que jogava na Seleção Amarelona de Futebol e no (sic) Glorioso. O estilo de jogo dele é desconhecido, pois na época em que ele jogava, ainda não existia a televisão, o rádio e muito menos as arquibancadas para os torcedores verem o seu estilo de jogo. Porém, segundo veneráveis anciões, como o Teu pai, o Teu avô e o José Ferreira Neto, Nílton Santos foi um dos melhores jogadores do futebol brasileiro na função de lateral-esquerdo, pois, além dele quebrar pernas atuar como um defensor, ele também fazia “diversos gols”.

Nílton Santos começou a sua carreira no Botafogo, em 1900 e guaraná com rolha. Ninguém sabe ao certo como foi a sua carreira, afinal, ninguém ainda estava vivo para presenciar essa cena. Porém, de acordo com análises de Carbono-14 (e análises dos gramados cariocas), no começo de sua carreira, ele não foi muito diferente dos jogadores atuais, pois ele também começou esquentando o banco, pois ninguém ainda conhecia as suas verdadeiras habilidades futebolísticas.

Porém, em um belo dia de Sol (sim, ainda se dava para ver o Sol, pois na Era Paleolítica ainda não havia poluição), o lateral-esquerdo titular do Botafogo, que era o Faraó Ramsés II, se machucou, abrindo assim uma excelente oportunidade para Nílton Santos mostrar toda a sua habilidade.

Então, Nílton Santos fez a sua primeira partida como titular, e surpreendeu todo mundo (apesar de só terem os seus colegas de time e os adversários no campo de barro). Ele chamou à atenção principalmente porque, diferente dos laterais-esquerdos da época, que apenas ficavam quebrando canelas defendendo, Nílton Santos também atacava com precisão, sendo um grande usuário de cruzamentos precisos. Ele tinha um cruzamento tão preciso que cruzou até mesmo o Cabo da Boa Esperança.

Após ter mostrado ser um jogador totalmente excelente, Nílton Santos conseguiu, finalmente, se firmar como titular da equipe, e não saía nem que o Pelé quisesse entrar na sua vaga. Depois disso, Nílton Santos continuou fazendo excelentes partidas (de acordo com o Neto), e, após alguns anos, ele virou um dos maiores ídolos do buátafogo, afinal, ele conseguiu ajudar a equipe à ganhar diversos títulos pouco, ops, muito importantes, como o Torneio Roberto Gomes Pedrosa.

Depois de muuuuuuuuitos anos jogando pelo Botafogo, e de ter ganhado diversos títulos, Nílton Santos resolveu se aposentar, para deicar à sua vaga de jogador para qualquer outro jovem, que tivesse menos de 2000 anos nas costas..

Cacau Avila disse...

Realmente caro allansid.

O Glorioso deve mesmo administrar muito mal o estádio do qual detém a posse por diploma legal até 2027, posse esta renovável por mais 20 anos.

Administrar bem deve ser aquilo que se viu ontem pela manhã, através da TV. E o que é aquele muquifo que sobrou do rescaldo, meu Deus? Parece moradia sob viaduto.

O Botafogo deveria ser punido (e não elogiado pelo COI) e vocês, mais uma vez, elevados a não sei o que do mundo.

Felipe Flanático disse...

E sobre a sua estadia, ops, brilhante carreira na Seleção Brasileira, Nílton Santos ganhou diversos títulos, e aí se inclue a Copa do Mundo de 1962. Nessa Copa, Nilton Santos teve importante participação no jogo contra a Espanha, sendo um jogador ético que é, fez pênalti e chamou o árbitro de “lindão”, aproveitando a distração do árbitro com o elogio, saiu da área e o árbitro ao invés de dar o pênalti, marcou falta fora da área. Na cobrança, o árbitro marcou um impedimento que ninguém viu instantes antes de Peiró marcar, de bicicleta, o segundo gol espanhol.

O ético Nilton Santos também ganhou a Copa de 1958, porém, a veridicidade dessa conquista não é comprovada, afinal, os historiadores de plantão ainda não tem a tecnologia necessária para desvendar os mistérios de períodos tão longínquos.

...Foi assim.

Cacau Avila disse...

Já que estão "pedindo mais uma vez", após a publicação da estorieta do Zico no post aonde o PC fala da confirmação alfanumérica para comentários, aqui vai uma pantomima circense digna do menguinho.
___________________________________

ÍDOLOS..

Eles não sabem do que se trata este termo.

P.C. Caju - surgiu no Botafogo aos 17 anos, numa decisão, fez os três gols alvinegros e despontou para a Glória. Fez uma Copa de 70 marcante, tendo que ver aonde iria jogar no meio daquelas 11 lendas.

FOI PARA O MENGUINHO - Tomou de 6x0 no dia do aniversário do 'crube' (pediu a Jairzinho para aliviar o baile EM PLENO GRAMADO) e terminou escondendo contusão na Copa de 74 para não perder um contrato com o Paris Saint German, timaço da época.

Iranildo - Era o talismã do Botafogo campeão nacional, da Tereza Herrera e do campeonato do Rio de Janeiro entre 95 e 96. Transferindo-se PARA O MENGUINHO, tornou-se um bobalhão que não dizia ao que vinha em campo.

Mas os ídolos que mais deixaram estupefados os torcedores adversários ali com a camisa do framengo foram mesmo Walter Minhoca e Zé do Gol. O segundo, rebotalho do Botafogo, lá chegou e fez os dois gols de praxe. Elevado à categoria de craque, só deu canelada até se transferir.

Walter Minhoca já fez parte da maracutaia para desmontar o Ipatinga no confronto pela Copa do Brasil de 2006.

Ídolo do menguinho é assim.

Cacau Avila disse...

Quanto ao comentário do framenguista sobre as verdadeiras feras do futebol (destaques no roll da fama da Fifa em Zurique), trata-se apenas de chororô de quem queria porque queria Felipe Melo e o novo P.C. Caju, o goleiro Julio Cesar, que fingiu contusão em 2010 para não perder a titularidade, como ídolos campeões em Copas do Mundo.

Eles são mesmo risíveis.

Cacau Avila disse...

Mais sobre os "ídolos" do inacreditável f.c. menguinho.

Leo Moura - rebotalho do Botafogo-atualmente em vias de ser colocado num caiaque sem remos e ser largado, à meia noite, a 200 milhas da costa. MAS JÁ FOI ENDEUSADO ALI. Todos viram, após o tri-roubo 2007/9 ou após a ajuda inestimável dos juniores do Grêmio em 2009. Tá certo que na noite do Cabañas a incapacidade do magrelo se mostrou na sua mais completa tradução, mas mais micos o sujeito pagou por ali: Atlético-GO 4x1 (aqui), La U 4x0 com cara de 7 (aqui), Atlético-PR NA LANTERNA 2x1 (aqui) e vai...

Klayton - buscado no Botafogo como lenda (sic) deu chabu pagando micos seguidos nos já afamados e bisonhos micos do urubu e acabou seus dias na várzea.

Zico chupetinha (eeeeeeleeeeee.. quem diriiiiiiaaaaaa)-após ser elevado à categoria de Sônia Braga pela TV, parece:

a) que caíram na real e viram o comedor de biscoito com mate (by Paret) que é e o botaram para correr;

b) ou que o botaram para correr por serem uns sem ídolos e não respeitarem as canelas de vidro que tanto os fizeram evoluir mais bonito no Maraca do que a Acadêmicos da Vila Vintém na Sapucaí.

Viram? Nem trabalho dá para mostrar do que é feito o framengo.