Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem

Sandro Moreyra, um autor à procura de um personagem
À venda no buscapé em 16 livrarias e em diversas livrarias ao vivo (Clique na imagem acima)

Livro do Senta

Livro do Senta
Clique na imagem e encomende o seu

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Tríplice coroa, ó!


Como era previsto. Não resisto. Mata-me de rir. Podem chorar, vascaínos. Não é toda hora que os milagres acontecem.

PC Guimarães vai entregar prêmio para sócio flamenguista do Blog


Amigos, amigas e tricolores: é sério. Eu brinco, mas não tenho preconceitos, nem medo. Estou indo para Bangu 1 entregar pessoalmente mais um prêmio do Blog do PC. Como sou jornalista e não revelo minhas fontes, pedi para que o premiado enviasse antes uma foto para que eu possa reconhecê-lo no meio de tantos framenguistas. Se eu não voltar até 22h, liguem pra radiopatrulha.

Fui!!!

Mengão apela pra entrar na Libertadores


Libertadores pra quê? Pra pagar mico de novo? É hora de força nova, de time com história, de time conhecido fora do Brasil. E não vale lembrar de título de 30 anos atrás.

E sem choro, por favor. Quem enviou foi um framenguista sócio do blog. Mas que brinca como eu brinco.

Ué, o Engenhão não tinha um monte de problemas? Por que não jogam no campinho de São Janu ou no estacionamento da Gávea?



Nessa eu estou com o Maurício. E acho que tem que enfrentar mesmo. Se os sem-estádio querem jogar no estádio do Botafogo que peçam por favor.

Deu no BrahmaFogo e Mário mandou o link também.

Remember Tancredo Neves!


Tá dando no lancenet. Pode ser verdade, pode não ser. Mas me lembrei de uma famosa frase atribuída ao político Tancredo Neves: "Diz que foi convidado e recusou". A velha raposa política usava para desmotivar os pretensos candidatos que tentavam cavar cargos em seus governos.

Não sei se o Oswaldo Oliveira é o nome ideal. Prefiro o Paulo Autuori ou o Cuca.

Uma vez Flamengo sempre Flamengo. Vamos cantar juntos...

Marcelinho Paraíba, ex-ídolo do ... Framengo

Bruno, ex-ídolo do ... Framengo
Adriano, ex-ídolo do ... Framengo

Vagner Love, ex-ídolo do ... Framengo

Ronaldinho Gaúcho, ídolo do ... Framengo

Mais um. Precisa comentar? Vou dizer sempre: o Framengo deveria ser proibido para menores de 18 anos e pessoas de fino trato.

Aos flamenguistas. Comunicado oficial: empresa convoca torcedores para atualizar camisa


É sério. E, mais importante, grátis.

Obrigado pela informação, Thiago Ribeiro. Os framenguistas também vão agradecer.

O Botafogo deve ceder o Engenhão para que Vasco e Flamengo possam jogar num estádio decente?

Taí, boa reflexão do Rica Perrone no globoesporte.com


"Eu sei, deveria vir aqui e cravar: Eu acho isso! Mas eu não consigo neste caso.
Porque eu acho sim um “absurdo” o Botafogo jogar fora do Engenhão, mandante, sendo que ele ainda joga vaga na Libertadores. E acho, também, um absurdo, a possível decisão do campeonato ser num estádio porcaria em Volta Redonda ou Macaé.
Quem tem culpa da reforma do Maracanã? Ninguém. E o Bota paga o pato?
Também não parece justo.
Mas é justo, por outro lado, que o Fogão seja um parceiro de seus aliados e pense como empresa, já que quem deve usar de birrinha pra pensar é torcedor, não dirigente.
É bom pro futebol carioca, daquele que o Bota faz parte, que o dele ou o Fla x Vasco seja num campo maior?
O Fla x Vasco.
Mas e se o Botafogo perder a vaga na Libertadores, por mais improvável que ela seja, por um empate? Não dirão que em casa seria diferente?
Casa que foi de todos em 2011 e será em 2012, até pro bem do Bota, que faz bom uso deste dinheiro.
Se rachar agora, perde grana. É um acordo comercial, e a birra deve ficar só na arquibancada.
Justo? Injusto? Você, Botafogo, brigaria?
Deixaria pra lá em troca do “bom senso”?
Pontos corridos… todos na mesma hora. Alguém vai ter que se ferrar.
Eu não tenho uma opinião pra dar pra vocês. Vocês têm?".

Flamenguistas são chatos pra cacete. A saga, a série - 1089


E o ex-craque português Eusébio? É mais uma dessas personalidades com ou sem aspas que vêm ao Rio e são importunados por algum framenguista e intimados a "receber" o tal de "manto sagrado". Imagino o constrangimento passado pelo ex-jogador ao se negar a vestir o troço.

Deu onde? Na coluna do meu camarada gente boa, mas framenguista, Ancelmo Goes.

Vascaínos estão se achando


Os vascaínos estão vivendo seus dias de glória por causa do milagre chamado Ricardo Gomes e estão zoando até os mais poderosos. Como o nosso sócio Júlio, que todo dia manda uma gracinha pro email do Blog. Aguardo o Júlio e todos os coadjuvantes hoje à noite aqui no nosso Blog.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Que time é teu? Assume, pô!

Imparcialidade não é só a minha marca. É também um assunto que me interessa bastante. Tanto que todo semestre peço aos meus alunos que escrevam sobre o assunto. O melhor texto de todos os que li esse ano foi o da Fabiola Buzim, que faço questão de reproduzir aqui no nosso blog.
Diz aí, Fabiola:

"Eu não acredito em vida após a morte. Eu não acredito em monogamia. No Papai Noel eu deixei de acreditar aos dez anos quando eu encontrei o meu pai, fantasiado de “bom velhinho”, comendo a minha mãe na cozinha. Foi traumático. Eles tiveram que me falar a verdade, senão eu estaria pensando até hoje que era filha do “Santa Claus”. Ah! E eu não acredito na imparcialidade jornalística. Aliás... Existe imparcialidade jornalística?

Talvez as coberturas esportivas sejam um exemplo perfeito para desmistificar este tabu. Não se engane, jornalista, antes de tudo, é torcedor. Seja qual o seu time, mesmo que o filho da mãe torça pelo “Japetinga do Norte”, isso irá prevalecer sobre a sua profissão. Não tem jeito! Por exemplo, enquanto eu escrevo estas palavras eu ouço da sala, a voz do Galvão Bueno narrando o jogo Brasil x Argentina (para os desinformados, o Brasil ganhou o título dos Super Clássicos da América, vencendo a Argentina por 2 x 0. Um gol do Lucas e outro do Neymar) e dentre os defeitos do Galvão, um deles, e o mais sério, é o de não manter a sua boca fechada. Mas, curiosamente, vou usar uma de suas frases para exemplificar o meu questionamento. Em jogos contra os “hermanos”, Galvão costuma dizer: “Ganhar é bom. Mas ganhar da Argentina é muito melhor”. É verdade... Mas, em uma cobertura jornalística é correto deixar transparecer a nossa preferência, a nossa nacionalidade?

Às vezes, assistindo a alguns jogos, eu tenho a impressão de presenciar uma batalha histórica entre o bem e o mal. Dependendo do time do comentarista nós saberemos quem será o “vilão” e quem será o “mocinho” da história. E maus exemplos não faltam. O Leovegildo Lins da Gama Júnior que o diga. Ah... Você não conhece o Leovegildo? (Puta que pariu! Quem em sã consciência coloca o nome do filho de Leovegildo???!) É o ex-jogador Júnior do Flamengo... Lembrou? Atualmente ele é comentarista da Globo, e algumas vezes dá o seu “ar da graça” em alguns jogos. E o cara até tenta disfarçar, mas se for comentar um jogo do Flamengo você pode saber, ele vai colocar a tal imparcialidade no saco... Do adversário!

É por isso que eu admiro o Dadá Maravilha. Ele é um cara humilde. Foi o Dadá quem disse “só existe três poderes no universo: Deus no Céu, o Papa no Vaticano e Dadá na grande área”. Viu? Humilde... Mas o que está em questão é que Dadá não se esconde. Nos comentários dele fica clara a sua preferência. E ele, que já passou por 3.114 clubes, atualmente é torcedor fanático do (falido) Atlético-MG e não tem vergonha de se assumir. A tal mensagem subliminar não funciona com ele. É direto no papo. A última noticia que tive foi que Dadá se vestiu de palhaço, em um programa ao vivo, para reclamar da péssima atuação do seu clube do coração. Tudo bem que o cara está no Guiness Book pelo maior número de frases infames na história mundial, são 17.589 frases até o momento. Mas isso já é outra história...

Bom, a questão é que eu não gostaria de terminar este texto com uma lição de moral sobre a responsabilidade jornalística e tal. Mas já que não existe imparcialidade no futebol, que se tenha pelo menos um respeito. É o @#&*%$##!! que o Flamengo é o maior time do Brasil! Canso de ouvir isso. Ah... Fala sério! Repito: se não há imparcialidade, ter pelo menos respeito e um pouquinho de conhecimento sobre a história dos grandes times não lhe fará mal. E, se alguém te perguntar “que time é teu?’, responda, sem pensar, o gostoso é se assumir...

Para ver o video do Dadá vestido de palhaço, clique aqui.

Será que agora vai, Jobson?


Tá dando em tudo quanto é lugar. Pesquei no Lancenet.

Sport Recife é mais uma vez campeão de 1987


Será que o chororô agora para? Para ler a verdade, clique aqui.

Obrigado pelo link, Mário.

Desse assunto tricolores entendem

Ih! Como assim? Dá pra explicar Ramón e PC Filho?

Tá dando no globoesporte.com

O Botafogo precisa de muita calma. Há 50 anos e hoje também


Que coisa! Nada é à toa. Vejam o que saiu na coluna "Há 50 anos" do Globo de hoje. Tudo a ver. Não adianta ficar culpando todo mundo. Tem culpa eu também? É hora de levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Botafogo é Botafogo. Acho engraçado quando ouço de torcedores de times comuns a frase: "Pro time tal é sempre difícil". Não. Estão enganados. Pro Botafogo é que sempre foi muito difícil. Sofri 21 anos com meu time e nunca deixei de torcer. Sobrevivi a Charles Borer e muito mais.

Vamo que vamo, Botafogo. Muita calma nessa hora.

SOU BOTAFOGO!

Enquanto isso...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

E se o Botafogo reagir que nem Rocky Balboa? PC Guimarães comenta 185


Para ler é só passar a mãozinha no Stallone. Ou, se estiver ao lado de um deles, no Xexéu ou num tricolor.

Fred é tricolor de coração e de outras coisas mais


Tá dando no Extra. A notícia, não o Fred. Ou quem sabe ele também. Esses tricolores E leiam o texto da nota:

O atacante Fred gosta de bater uma bola bem a vontade quando está em sua casa, em Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro. Brincando de embaixadinhas com o amigo Fabrício, o camisa 9 do Fluminense aparece só de cueca branca. O amigo do jogador colocou a foto numa rede social e brincou com o atleta:
“Bate bola na casa do meu amigo Fred em Ipanema kkkk esses caras me matam de rir ( de cuequinhas kkkkkk pra dar polemica kkkkkk)”, escreveu Fabrício.

Obrigado pelo link, Welles. Vai chover tricolor aqui no Blog.

Alô alô, GB: você também dançava de cueca na sala do Xexa?

Flamengo beneficiado pela arbitragem. De novo. Ora, isso é apenas um detalhe e 3 linhas e meia no jornal


E tome desculpa para justificar os lances em que o Framengo é beneficiado

Se essa entrada do Fierro não é pênalti, o que é pênalti?

É impressionante como a FraPress se cala sobre isso. Mais uma vez isso acontece. Mas O Globo também está errado, o cara que escreveu isso é chorão e só os framenguistas estão certos. Afinal, tem que botar o Mengão na Liberta.

Depois os vascaínos reclamam quando são chamados de bregas


Como diria aquele antigo personagem do Agildo Ribeiro: "Coisa horrorosa!".

Deu hoje no Ancelmo.

Vasco só vai consolidar vice na última rodada. Leitores do Blog do PC acertam mais uma


Mais uma enquete terminada, mais uma vez os leitores e sócios do Blog do PC provam que sabem das coisas. 64% votaram que o Vasco só vai se consolidar vice na última rodada. Parabéns, eleitores e eleitoras. Tricolores também.

Bobeou, aluno pimba!

Enquanto jogadores, membros (epa!) da comissão técnica, Caio Júnior e dirigentes descansam em seus condomínios da Barra, Leblon, Copacabana, Paris, PIndamonhangaba e adjacências, nós, humildes torcedores botafoguenses, sofremos com as gozações.

Há poucos minutos, dando (no bom sentido) prova final para os meus alunos, um deles, Nikolas Bessa, perguntou:

"Professor: precisa botar título no texto?".

Disse que sim. E o cara me zoou:

"Só assim botafoguenses conseguem um título".

Que nota eu dou pra esse aluno?

Esse sim é o Botafogo que eu conheço


Não sonhei como imaginei em comentário abaixo. O Botafogo realmente ameaça enfrentar a CBF e essa máfia que há anos prejudica e desrespeita o clube.

Meu comentário no final da noite de ontem quando ouvi no Esporte Interativo que uma outra emissora de tv estava divulgando a notícia da decisão do Botafogo. Em princípio pensei que fosse a Band ou a ESPN. Mas foi a CNT.

O Engenhão agora serve? O que esperar de uma CBF que tem Ricardo Teixeira como presidente? O que esperar de um sujeito que nomeia o presidente do Corinthians como homem forte da entidade ao apagar das luzes de um campeonato em que esse mesmo Corinthians está disputando? Este blog não tem rabo preso nem solto. Tem independência. Já criticou e já elogiou a diretoria, pediu diversas vezes a saída do Caio Júnior, quando ainda era possível alguma reação. Mas nessa parada está com o presidente do clube. Basta! Respeitem o Glorioso. Se Maurício Assumpção está querendo jogar pra torcida com o objetivo de apagar as cagadas que foram feitas durante o ano, dane-se. A CBF não manda no Botafogo.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Em briga de marido e mulher, blogueiro não mete a colher


Tá dando no Dia online.

Fogãonet reproduz entrevistas de candidatos


O Fogãonet reproduziu e indicou as entrevistas que fiz com os candidatos Maurício Assumpção e Carlos Eduardo Pereira. Mais uma prova da imparcialidade do Blog do PC. Obrigado pelo apoio e força, Fogãonet. Quer ver, clique aqui.

Botafogo na Libertadores


Segunda na coluna "PC Guimarães comenta" 185.

domingo, 27 de novembro de 2011

Adoro fotos de bifes, a série


Só uma foto dessas pra aliviar a minha dor. Sou fã de bife a milanesa. Estive em Viena no restaurante que dizem ter nascido o bife a milanesa. Cheguei meia-hora antes de o restaurante fechar e não me deixaram entrar. Sacanagem! Mas que essa foto me deixou excitado, deixou.

Boa noite a todos. Boa segunda.

Eu afirmo e assino: "Bocage é um grande mané"

Framenguista doente, metido a fazer gracinhas na televisão, esse Sergio du Bocage acaba de tomar um fora do Márcio Guedes no "Esportevisão" da TV Brasil.

A frase do torcedor framenguista remunerado foi: "O Botafogo quis (sic - jogar no Engenhão) dizendo que o estádio era dele...".

Não completou a frase, pois Márcio Guedes que é torcedor do Botafogo, mas, justiça seja feita, é profissional, cortou o barato dizendo que a história não é bem assim.

Vá fazer gracinhas em mesa de bar, Bocage. Respeite o Botafogo.

Vasco pode ter Diego Souza no jogo final

Vem polêmica por aí. Acaba de dar no programa "Esportevisão" da TV Brasil que há controvérsias sobre o terceiro cartão do Diego Souza. Parece que não há registro do segundo cartão na CBF.

Botafogo ainda tem chances


Eu acredito em milagres. Aguardem. Hoje foi apenas (mais) um mau dia. O mau olhado um dia acaba. Quem sabe não acaba no próximo domingo!?

Vasco caga como o Flamengo e tira o vice do Fluminense

Depois de provar do estilo Marcelo de Lima Henrique de apitar, o Vasco consegue mais um milagre.

Não tenho mais dúvidas: é macumba

Loco Abreu bater pênalti do jeito que bateu! Que fase!

E o que houve com o Caio que ia entrar jogando e nem no banco ficou? Será que o inventor do interino que era auxiliar do Caio Júnior e inventava junto com ele decidiu barrar o garoto na última hora e ele se rebelou? Gostaria de saber o que aconteceu. A Globo não informou.

Caio barrado por discutir com Anderson Barros, garante repórter

Tá dando no Fogãonet. Tava na cara que tinha ocorrido alguma coisa. Caio ia jogar e nem no banco ficou. Obrigado pelo link, anônimo.

Dá Botafogo, dá Inter, dá Corinthians e dá empate entre FluFlu e Coadjuvante. E você? Vai dar o quê?

Na penúltima rodada do Brasileirão suas previsões e seus comentários são bem-vindos aqui no Blog do PC.

Honrem o Botafogo, jogadores



Tomara que os jogadores tenham recebido e entendido o recado do Túlio Maravilha.

Obrigado pelo link, BrahmaFogo.

sábado, 26 de novembro de 2011

Ídolo tricolor diz que não torce mais pelo Flu e que "tem muito vagabundo lá dentro"


Domingo no jornal Extra. O globoesporte.com está anunciando. Bom momento pra isso, né?

Mas que diferença pros ídolos botafoguenses. 

Pense diferente. Seja Botafogo.

Renato zoa do novo corte de cabelo de Loco Abreu que mostra no treino porque é o maior ídolo do futebol carioca




Obrigado pelo link, BrahmaFogo.

A dúvida que não quer calar sobre Ronaldinho Gaúcho

Me perguntaram e eu não soube responder: "Será que Ronaldinho Gaúcho assinou a nota oficial com o próprio punho?".

É muita maldade!

Herrera na barca. Você concorda?

Deu hoje na coluna "Panorama Esportivo" do Globo. Não tem o nome do Alessandro, para desespero do GB, mas tem o de Herrera. Eu gosto do Herrera. Perde gols pacas, não é craque, mas tem garra. Com ele o Botafogo foi campeão carioca em cima do Time do Apito. Mas tem botafoguense que não gosto. Tenho um amigo professor, Fábio, que odeia o Gringo. E você? Aprova a saída do Herrera?

Tricolores não têm jeito!

E você, Ramón? Gostaria de ficar na frente ou atrás do Fred?

Esses tricolores! Depois reclamam quando as pessoas más falam deles.

Tá na capa do Extra de hoje.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Rádio Globo informa que Fluminense voltou a atravessar o Botafogo. Dessa vez com Vagner, ex-Cruzeiro

Um repórter da rádio informou que o Botafogo estava negociando há um mês com o Vagner e que o Flu voltou a atravessar uma negociação.
Até quando? Dê uma rasteira grande nos aliciadores, Botafogo. A contratação do Elkeson foi pouco.

Ética, teu nome não é Fluminense.

Maurício Assumpção é reeleito presidente do Botafogo

Confirmado agora pela Rádio Globo. Sou o primeiro blogueiro a dar (a notícia). Fora 982 válidos. 719 para Maurício e 263 para o Carlos Eduardo Pereira.

Simples coincidência, Ronaldinho?




É impressão do nosso sócio Pedro Barboza ou o relógio do cara que o Ronaldinho nega que seja o Ronaldinho é igual ao do cara que dizem que é o Ronaldinho? Será que é montagem também?

E Renato Maurício Prado na coluna de hoje mostrou que conhece a história do denorex.

"Quem tem Garrincha não precisa de Ronaldinho", Hélio de la Peña, após votar nas eleições do Botafogo





Calma, tricolores!

E a imagem, da capa do livro do Ruy Castro, é meramente ilustrativa.

Russão de volta ao Botafogo. Blog do PC homenageia

Tá dando no globoesporte.com que o Russão apareceu hoje em General Severiano, dia de eleição. O Blog já andou falando sobre Russão e volta a homenagear o guerreiro torcedor.

Vanderlei Luxemburgo, o educador



O grand finale é o "Tem que sair da frente que...".

Não é só o Blog do PC que é censurado pelos donos da Internet


Deu hoje na coluna do Ancelmo. Facebook também puniu fotógrafo por causa de foto famosa. Facebook. Google e cia fazem o que quem com os internautas. Se acham - e são mesmo - os donos da Rede.

Até quando? O Blog do PC é solidário com o Fernando Rabelo.

Facebook revela quem estava com Ronaldinho Gaúcho na webcan


Hoje é dia. Mais um dia pra zoar o Framengo e os framenguistas. Vivem deixando na reta e na rede.


E colunista garante que é ele mesmo. Alô alô, tricolores: é ou não é?

Já escalei a minha seleção. E você?


Acabei de escalar a minha seleção no programa "Conexão" da Rádio Metropolitana:

Jefferson, Fagner, Dedé, Rever e Cortês; Arouca, Renato, Lucas e Thiago Neves; Fred e Neymar. Revelação: Cortês, craque: Neymar (Com voto de louvor para Dedé). Técnico: Ricardo Gomes, o "Milagroso". Juiz? Nenhum.

Imparcialidade maior, impossível. Elkeson também poderia estar entre os finalistas, mas, estranhamente, caiu muito de rendimento (como diriam os entendidos).

E você? Vota em quem?

Maicosuel bota a cara pra bater e conversa com torcedores no Engenhão


Não concordo com certas atitudes de torcedores do Botafogo. Mas este vídeo, feito pelo meu aluno Pedro Barboza e postado no lancenet, vale a pena ser visto. Os torcedores cobram numa boa e Maicosuel merece um elogio por ter parado para ouvir os caras.

Mas que carrão, hein! Bem melhor do que o meu que está parado há um ano na garagem porque bateu máquina.

Ronaldinho Gaúcho fica na mão



É uma maldade sem fim. Respeitem o Framengo, pô! Especialmente você, Edgard, seu vascaíno mau.

Será que hoje o Eduardo das Canetas também vai levar o table chinês pro famoso lavabo de Itajaí?

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Uma vez Flamengo?!...

Fazedor de m... teu lugar é no Mengo. Passei o dia trabalhando. Só agora e estou de volta e com essa notícia. Vocês já viram isso no globoesporte.com? Que sina! E as declarações de "alto nível" do Vanderlei?

Blog do PC entrevista com exclusividade os candidatos ao cargo de presidente do Botafogo


Maurício Assumpção: “O Anderson (Barros) é botafoguense. Ainda mostro a foto dele com a camisa do Botafogo”.

Carlos Eduardo Pereira: “Nossa plataforma é devolver o Engenhão para os botafoguenses”.

************************************
Uma coisa é certa: os dois são botafoguenses. Sabem cantar o hino do clube, destacando que é “Botafogo, Botafogo, campeão desde 1907” e não “Botafogo, Botafogo, campeão desde 1910” (como se cantava antigamente, antes da decisão que oficializou o clube como campeão junto com o Fluminense que naquela época já armava nos bastidores), sabem escalar o fantástico time bi-campeão carioca de 67/68 e são capazes de lembrar os nomes dos autores dos gols da histórica goleada de 6 a 0 do Botafogo sobre o Flamengo (três de Jairzinho – um deles de letra, dois de Fischer e um de Ferreti). Três pegadinhas que fiz questão de repetir para os dois durante as entrevistas. Maurício chegou a se assustar quando perguntei a ele se era botafoguense mesmo: “Por quê? Alguém duvida?”.

Os dois têm raízes botafoguenses.

Maurício Assumpção é filho de um mineiro que passou a se interessar por futebol e pelo Botafogo ouvindo a Rádio Nacional. Começou a ir ao Maracanã levado pelo irmão mais velho. Eram os tempos mágicos de Garrincha. O filho é botafoguense.

“Aí começou essa loucura, essa paixão. Minha mãe é tricolor. Ou era. Hoje quando eu falo para ela que o Fluminense vai jogar, ela diz: ´Ah, é?`

Carlos Eduardo Pereira é filho de botafoguense, morou perto de General Severiano e é casado com uma botafoguense. É presidente de um entidade de proteção aos animais e ao meio ambiente em Petrópolis, na serra do Rio, onde mora atualmente, e tem um cachorrinho chamado Biriba, com quem fez questão de posar junto na foto de campanha que decora seu carro.


“Nasci praticamente em General Severiano. Morava perto. O Botafogo tinha grandes ídolos. Mas sobrevivi a momentos muito difíceis. Quando o Botafogo perdeu de 7 a 2 para o Fluminense num torneio Rio-São Paulo, meu pai olhou para mim descendo a rampa do Maracanã e perguntou: ´Você vai continuar sendo Botafogo?`. Respondi que sim. E fui recompensado pois depois veio a geração de 67 e 68. Consegui também sobreviver às vacas magras dos 21 anos sem título”.

Maurício Assumpção é dentista e professor universitário. Carlos Eduardo é administrador de empresas com pós-graduação em marketing. Trabalha com consultoria e gestão de shopping centers e empreendimentos comerciais, com experiência de trabalho na América do Sul e Europa.

A entrevista com Maurício Assumpção foi na sala da presidência, em General Severiano, decorada com motivos do Botafogo do rodapé ao teto, com destaque para a imagem de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Botafogo. Carlos Eduardo Pereira recebeu o repórter e blogueiro na sala de reuniões da empresa em que trabalha na Torre do Shopping Rio Sul, onde se destaca a bela vista da sede de General Severiano.

Os dois foram muito gentis e pacientes nas entrevistas que duraram mais de uma hora cada uma e toparam até cantar o hino para a gravação que fiz para o programa “Conexão Esportiva” da Rádio Metropolitana 1090, que vai ao ar hoje, quinta-feira, às 12h, e pode ser ouvido também no site do "Conexão" (ver link mais acima).

A primeira pergunta: “Por que quer ser presidente do Botafogo?

Maurício:

“O motivo maior é que, olhando para trás, o que motivou foi o que foi feito nesses três anos no Botafogo. Algumas coisas importantes foram conquistadas e eu achei que talvez eu tivesse o direito de pleitear junto ao associado ficar mais três anos à frente do Botafogo. Cheguei numa condição de desconfiança total, completo desconhecido. As pessoas não sabiam o que esperar de mim, o que é natural. Ao longo desses três anos as pessoas puderam entender qual é o projeto que a gente tem para o Botafogo, a forma que a gente trabalha, a forma que a gente encara as questões referentes ao Botafogo”.

Carlos Eduardo:

“Me senti lisonjeado por receber o convite da chapa “Mais Botafogo”. Esse pessoal começou a militar na política do clube nas últimas eleições e foram os principais responsáveis pela eleição do Maurício Assumpção. Uma das principais ideias do grupo é reduzir o poder presidencial, fazendo uma gestão que valorize os outros poderes como os conselhos deliberativo e fiscal. Dessa forma, o presidente terá uma relação mais transparente com o sócio e com o torcedor”.

Maurício tenta a reeleição. Antes de ser presidente, foi diretor de esportes de praia na gestão de Mauro Ney Palmeiro. Na primeira gestão de Bebeto de Freitas fez parte do conselho. Não participou do segundo mandato do Bebeto, pois estava na chapa concorrente, de Antonio Carlos Mantuano.

Carlos Eduardo começou a vida política no clube em 1982. Foi diretor de Comunicação Social de Juca Melo Machado, vice-administrativo nas gestões de Mauro Ney Palmeiro e de Jorge Aurélio Domingues, conselheiro na administração Emil Pinheiro e vice-presidente geral de Carlos Augusto Montenegro.

A maior loucura que Maurício já fez pelo Botafogo foi fechar o Túnel Rebouças quando o time foi campeão em 1989. Mas fez outras também:

“Lembra daquela época em que os postos eram proibidos de vender gasolina nos fins de semana? Teve um jogo do Botafogo em Juiz de Fora e cismei de ir. Botei um galão de gasolina no porta-malas do carro e me arrisquei a ser preso e processado. Já fiz muitas promessas pelo Botafogo. Cheguei a andar uma semana inteira pela casa toda de joelhos. Fiquei com joelho todo ralado. Como torcedor sou muito complicado. Teve uma época em que os vizinhos achavam que eu batia na minha mulher de tanto que eu gritava vendo jogos do Botafogo”.

Como dirigente, Maurício também tem lá suas manias. Lembra que já recusou assistir um Botafogo e Vasco ao lado do presidente vascaíno Roberto Dinamite, como é comum na Europa.

“Tá maluco? Não sou dirigente de clube europeu. Não tem a menor chance de eu assistir um jogo ao lado do presidente de outro clube. Eu pulo, eu grito, não sou eu. Já quebrei duas cadeiras. Em compensação, acabou o jogo não dá para entender. Me desligo e entra o presidente do clube”.

Os dois têm um Anderson na vida. Maurício tem Anderson Barros que ele garante que é botafoguense.

“A mulher dele jogou vôlei no Botafogo. Todo mundo cobra dizendo que ele é flamenguista e ele nunca fala nada. Mas a família dele entregou. Estou doido para pegar uma foto daquele ´gordinho` com a camisa do Botafogo. Fui a uma festa e o tio dele me mostrou uma foto de quando ele era criança com a camisa do Botafogo e me falou assim: ´Eu sou o responsável por ele ser Botafogo`. E eu disse: ´o senhor deveria falar isso para a Fúria, para a Mancha, para a Jovem, para a Botachopp. O Anderson é um cara profissional ao extremo. Já pensei em pegar essa foto e botar no site do Botafogo. Mas ele diz: ´Não faça isso, presidente; nunca mais piso no Botafogo`. Ele  tem uma imagem muito profissional. Não quer ser reconhecido como um cara que é botafoguense, mas pelo trabalho dele. Hoje tem empresário batendo na porta do Botafogo oferecendo jogador.É diferente de antigamente. Hoje quando alguém senta com o Botafogo para conversar sobre assuntos de futebol existe seriedade. Salários mais do que em dia, compromissos honrados. Anderson é cara que faz essa diferença”.

O candidato a vice de Carlos Eduardo também é Anderson. Anderson Simões. Mas ele prefere não comentar sobre o outro Anderson tão criticado por muitos botafoguenses.

“Sobre a estrutura atual do futebol não gostaria de comentar nada. O momento é de torcida favorável. Esperança. Todas as palavras de apoio devem ser dadas para a comissão técnica e para os atletas”.

Maurício e Carlos Eduardo têm planos parecidos quando o assunto é General Severiano e Centro de Treinamento. Os dois querem tirar o futebol profissional de General Severiano.

Maurício:

“É preciso sair de General Severiano. Mas nada de construir quadras de tênis no lugar do campo que hoje é utilizado para treinamento. Vamos substituir a grama natural por grama sintética e alugar o campo para os associados. Mas antes é preciso criar um ambiente de vestiário, de churrasqueira; um ambiente social. O time só treinaria ali em condições especiais para reforçar a integração com a torcida e sócios que o local continuará a manter. A sede de General Severiano não perderá a característica de um clube de futebol”.

Carlos Eduardo:

“Eu era um dos que tinha saudade do estádio de General Severiano. Outros não; olhavam o clube como um clube social. O grande erro foi a opção pelo projeto do campo. Acho que deveria ter sido enfatizado ali o momento de clube social. Ter campo em General Severiano deixa de atender o sócio em outras coisas e não consegue ter um campo na qualidade que a gente gostaria. O terreno é pequeno, não é uma coisa nem outra. Não é clube social, nem é estádio. E na localização em que estamos é difícil que prefeitura autorize um estádio. Precisamos pensar em coisas de utilização mais intensa.

Gostaria muito de ver o Botafogo disputando as primeiras categorias de basquete e vôlei. Mas estamos longe disso. É necessário que se ofereça uma estrutura melhor para trazer o sócio para dentro do clube, os torcedores para dentro do clube. Restaurantes, ginásios em melhores condições, escolinha de esportes amadores são alguns fatores apontados para esse aumento. O sócio precisa se conhecer. Tem que ter atividades ligadas ao momento atual. É preciso ativar categorias de esportes que permitam amadorismo. Tipo futebol de botão, xadrez etc.  É importante ter atividade social”.

Mas tanto Maurício quanto Carlos Eduardo não abrem mão de um Centro de Treinamento.

Maurício:

“A questão do terreno de Marechal (Hermes) demorou muito. Gostaria que tivesse sido mais rápido. Poderia ter conseguido o terreno mais cedo. Ah, se a gente tivesse começado logo as obras em Marechal! Estou doido para homenagear o Nilton Santos. Fazer o CT da base com o nome dele. O CT do time profissional vai ser em outro lugar. Está quase definido, mas não posso falar agora. Esse ano ainda as obras vão começar. O treinamento vai passar a ser todo no CT. E não vai ter container não. É obra bonita mesmo, de primeiro mundo”.

Carlos Eduardo:

“Dois elementos são fundamentais para nós: o primeiro é adotar um comando integrado do futebol de todas as categorias. Criar uma verticalização na gestão do futebol que permita que uma pessoa de uma linha de conduta para essas categorias, para que elas funcionem como elemento de abastecimento para o grupo de cima. A outra coisa é não ficar esperando ajuda do governo do Estado, do Exército e construir um Centro de Treinamento com recursos do Botafogo, captando recursos no mercado. A questão de dependência tem que ser revista. Amanhã muda um ministro, muda outro, e aquilo não é seu. Todo mundo que tem CT consegue pleitear isso. Hoje quem não tem CT não vai conseguir atletas com volume necessário para abastecer o clube e realizar negociações. É preciso uma cabeça pensando o futebol, treinadores alinhados, pensando o Botafogo. Desde a base até o profissional.”

E o Engenhão? Quais os planos dois candidatos para o Engenhão?

Maurício:

“Muitas novidades. Além das duas salas de imprensa, reformadas recentemente, em breve teremos zona mista para as entrevistas, uma tribuna de honra com cadeiras novas e os dois vestiários serão temáticos. Um vai receber uma personalização sobre o Botafogo e outro (o dos visitantes) sobre a Seleção Brasileira. Vai ter fotos do Pelé, do Ronaldo Fenômeno, do Romário e de jogadores do Botafogo que jogaram na seleção também. Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas vêm aí e turista adora ver estádio. É preciso criar o hábito de visitar o Engenhão. Estive agora visitando alguns CTs na Europa. Você entra, compra um ticket, faz um tour e acaba na lojinha do clube. Vamos fazer um lojão no Engenhão também. E ainda temos planos para o campo. A ideia é reformar aquela área de grama natural ao lado dos bancos de reservas. Vamos substituir por um grande tapete de grama sintética que terá o escudo do Botafogo. Um custo total de R$ 250 mil a R$ 300 mil.

Há também o projeto para aumentar o número de arquibancadas. Se o Maracanã vai ter capacidade para 70 mil pessoas, eu vou ter que ter para 60; diferente do Vasco que tem 20 mil. É necessário botar conteúdo para que as empresas entendam que aquilo é um poderoso instrumento de negócios para a empresa e que mesmo com o Maracanã aberto eu vou ter uma concorrência comercial lá. Pretendo ter no Engenhão um nicho diferente do Maracanã. Quando o Maracanã abrir em 2014 ou em 2015, tenho que estar com o estádio qualificado para brigar e trazer os clássicos para o Engenhão. Vai ser uma concorrência tremenda. Hoje meus camarotes custam três vezes mais do que custavam quando o Maracanã estava aberto. E quando abrir de novo? Cobram a caracterização do Engenhão como estádio do Botafogo. Mas há a questão do contrato.

Quando a gente cede para shows está alugando o estádio como um todo. Sobre os contratos com a AmBev foi dito pela própria AmBev que no Brasil não tem contrato igual. Poderia alimentar a fantasia de pintar o estádio todo de preto e branco. Eu posso, mas não tenho dinheiro agora. Mas assusta quem quer botar a marca lá. Quem quer botar quer botar para vários clubes e não só um e eu para fazer esse nome pegar preciso que seja um estádio usado por todas as torcidas. O Flamengo já botou 40 mil lá dentro, o Fluminense também, e o Botafogo idem”.

Carlos Eduardo:

“A diretoria atual vive brincando dizendo que nossa plataforma é devolver o Engenhão. Nossa plataforma é devolver o Engenhão para os botafoguenses.  Queremos que o Botafogo seja efetivamente a última palavra na gestão do estádio. Sair do Engenhão para jogar em São Januário, por exemplo, é um absurdo. Pagamos R$ 20 mil e recebemos R$ 5 mil do jogo do FlaFlu. Disseram que o Botafogo não jogou no Engenhão para poupar o gramado para o FlaFlu. Pergunta se o São Paulo deixaria o Morumbi para Corinthians e Palmeiras enquanto ele iria jogar no Pacaembu? Tudo isso é fruto da estratégia que adotaram para descaracterizar o Engenhão como estádio do Botafogo e fazê-lo estádio da cidade. Não bate com os nossos interesses.

Tanto é que teve a polêmica das cadeiras vermelhas. Ora, o vermelho, com a superposição das nossas bandeiras que são nas cores preta e branca causam um efeito que não agrada muito a nossa torcida. Até que ponto a marca tem interesse em desagradar o Botafogo? Nos anos 80, a Coca-Cola anunciou no Botafogo  usando a marca em preto e branco. É preciso respeitar as tradições. O Botafogo paga cerca de R$ 500 a 600 mil por mês de manutenção. Já que ele tem esse ônus, é claro que ele tem que ter o bônus de ser a última palavra da gestão do estádio. Tem que ter a preferência. Repito: com a falta do Maracanã há uma idéia de vender o estádio como um estádio da cidade. Mas sabemos que não é assim. O Engenhão é do Botafogo, a última palavra tem que ser nossa.

Eu vejo essa política de aproximação com os times do Rio na questão do Engenhão com reservas, É bom ter como dialogar com eles mas tem que respeitar os nossos interesses em primeiro lugar. Sobre o acordo com a Brahma há um entendimento que o Engenhão é o estádio da cidade. Não é. Definitivamente não é. Isso que a gente tem que corrigir.  O estádio tem que ser branco e preto; não azul, vermelho e branco. Questiono também algumas coisas que acontecem nos aluguéis para shows. É claro que os shows são rentáveis e dão boa divulgação. Mas pega um cara que nem o Paul Mc Cartney que foi ao Engenhão. O Botafogo tinha que ter entregue uma camisa para o Paul na hora do show. Mesmo caso do Justin Bieber”.

Quando assumiu o clube, Maurício Assumpção prometeu uma contratação para fechar o aeroporto. Não veio. A torcida até hoje cobra essa contratação.

Maurício:

“Tínhamos uma limitação séria de orçamento quando chegamos. Era complicada a situação. O clube devia quatro meses de salários aos jogadores e saiu muita gente (Lúcio Flávio, Jorge Henrique, Diguinho etc). Montamos um time graças ao Anderson (Barros) e ao André (Silva). Havia uma consciência plena de que não iríamos disputar título. Mesmo assim 2009 foi o ano em que fomos mais prejudicados pelas arbitragens. Foi uma vergonha o que aconteceu.

Em 2010 trouxemos o Maicosuel de volta e ele se contundiu. O mesmo aconteceu na reta final do campeonato com Marcelo Mattos, Herrera e outros. Mesmo assim Joel conseguiu levar o time até o finalzinho.

Esse ano contratamos o Marcelo (Mattos), o Renato, o Cortês, o Elkeson. Faltou um meia. Tentamos o Diego e o Gilberto, que acho que deve estar até hoje arrependido. Insisti muito nisso. Depois veio o Seedorf. Preferiu ficar um ano no Milan. Ele entendeu. E a resposta que ele nos deu nos deixou orgulhosos. E quando você vê um jogador como Renato que nunca teve vínculo com o Botafogo decidir vir para o Botafogo é sinal que está acontecendo alguma coisa aqui. E olha que foram pegar ele no aeroporto para atravessar a negociação.  O Maicosuel também foi um jogador de fechar o aeroporto no sentido de levantar a torcida. Talvez se tivesse vindo da Alemanha tivesse fechado, mas como ele veio de carro de Cosmópolis ninguém deu pelota pra ele. Hoje a gente tem vários jogadores que fechariam o aeroporto numa contratação. Elkeson, Jefferson, Loco Abreu... Dentro desse processo de qualificação de elenco é uma coisa natural de trazer um jogador com esse peso. Seria importante para a nossa torcida. A gente tem um time qualificado tecnicamente em relação aos outros anos”.

Carlos Eduardo:

“Acho a base do Botafogo boa, com vários jogadores de seleção como Cortez, Loco, Jeferson. O que é preciso é reforçar o plantel, mas não posso enganar o torcedor e prometer grandes contratações, isso não cabe mais. Não vou viajar às custas do Botafogo e enganar os torcedores com esses factoides Seedorf, Diego, que estão dentro da realidade da Europa e não do futebol brasileiro”.